Top-ads

Instagram

Tendências

Dicas

O que tem no cabide

Quando eu vi essa camisa eu me apaixonei - bom... na verdade eu me apaixono sempre pelas minhas roupas novas ahahahahaha.

Só que tem aquele porém que sempre acontece comigo: compro uma peça com muita "personalidade", aí fica muito difícil de usar, então tenho que "matar" todas as outras peças do look.

Só que, dessa vez, eu dei só uma "matadinha", usei duas peças com detalhes que marcam: calça com joelho rasgado e tênis de couro com tachas na biqueira.







Camisa Renner (R$89)
Calça Renner (R$59 - eu que rasguei)
Tênis CNS (presente da marca)
Oi pessoal! Resolvi aparecer por aqui!

Muita coisa aconteceu, eu "quase" resolvi não postar mais no blog, mas a paixão foi mais forte!

Por isso, resolvi voltar a postar, e com um look que eu adorei montar!

Achei essa camiseta na arara de promoções da Renner por R$9,90! Além de linda, seria uma injustiça não trazer pra casa por este preço, né?



Como ela chama bastante atenção, resolvi "matar" o restante do look com essa calça e tênis preto, pra  as peças não brigarem entre si! 



Camiseta Renner (R$9,90)
Calça Renner (R$69,90)
Tênis CNS (presente da marca)




Ápice da moda dos anos 90, quem usava as camisetas jeans masculinas acertava em cheio
na moda da época e, de quebra, inseria nos melhores grupos de amigos e da faculdade.
Uma boa impressão é tudo, então, em pleno século XXI, todas as décadas passadas
viraram moda, e as tendências definidas dos anos 90 voltou com tudo. A camiseta jeans vai
bem com qualquer tipo de roupa -- tanto com mais jeans, é um look obrigatório para viver na
moda.


A camisa jeans, dentre os diversos tipos de camisetas masculinas, é verdadeiramente
casual. O tecido brim dá um toque bastante descontraído ao look, fazendo com o que o
jeans se torne uma peça bonita e ideal para um passeio de domingo à tarde.
Essa peça sportwear se tornou um item essencial a partir do ano passado, de 2015, e
continua em alta, com a variação de jeans de diversas cores, modelos e lavagens. O mais
legal é que a camiseta jeans pode ser usada de diversas maneiras, desde a mais relaxada,
para fora da calça, até bem formal, combinada com terno e gravata.

Só jeans

E se eu usar uma camiseta jeans com uma calça jeans? Quem disse que não é permitido?
Estamos super a favor desse lance de colocar jeans com jeans, mas utilize sempre um
cardigã, jaqueta, moleton ou blazer por cima das camisas para lançar a moda. É perfeito
para quem quer baixa visibilidade e seja discreto, tanto no frio quanto no calor, tente o jeans
masculino para dar aquele charme especial!
Na hora de usar camisa jeans, é preciso estar atento ao tamanho da roupa, pois ela pode
encolher. Lembre-se que a peça deverá ficar alinhada com o corpo - nem muito justa, nem
muito larga. Não é recomendado ter os botões justos na peça ao fechar, pois como a peça
de roupa não é maleável como outras camisetas masculinas, não dará mobilidade para
sentar.

Camisas jeans de manga curta

Há duas possibilidades incríveis de utilizar a sua camiseta jeans - aquela de manga curta,

onde é uma ótima opção para usar em dias de calor e com o colarinho fechado, pois o
colarinho aberto com os braços à mostra traz uma sensação de desconforto.
O visual grunge aparece nas camisas jeans -- se você possui diversas camisetas
masculinas, que tal sobrepor uma azul claro em uma camisa jeans? Além de histórico e
própria para o momento, o look vai trazer um visual da moda grunge dos anos 90 e fará

você se sentir mais leve. A camiseta pode ser de manga curta ou de manga longa dobrada.
Ele é, definitivamente, O Cara Fashion. Tem um estilo muito próprio, um olhar afinado e totalmente antenado para o que há de melhor e novo na moda masculina. Ah,  não posso deixar que temos algo em comum: a admiração pelo trabalho do Alexandre Herchcovitch (que eu tive a honra de entrevistar e você pode conferir clicando  aqui). 




O carioca Fabiano Gomes está a frente do blog O Cara Fashion, que acaba de completar 4 anos, agora em julho. Conheço o blog desde os primeiros posts e acompanhei sua evolução até chegar ao formato que é hoje, por isso resolvi fazer uma entrevista e conhecer melhor o Fabiano.


Cabide Masculino: Quantos anos tem o blog?
O Cara Fashion:  O Cara Fashion acabou de completar 4 anos agora em julho. Queria fazer uma comemoração, mas como sou metódico vou fazer quando ele completar 5, mais redondo. Rsrs.

CM:  De onde surgiu a ideia de criá-lo? Já tinha algum outro projeto virtual antes dele? (tanto no ramo de moda, como de internet ou outra coisa que quiser citar)
OCF:  OCF surgiu da minha própria necessidade. Eu sempre gostei bastante de moda, mas uns dois anos anos antes de criá-lo o interesse se aguçou ainda mais. Assim, eu comecei a pesquisar e acompanhe blogs de moda masculina, porém não achava nenhum que tivesse uma linguagem legal e abordasse tudo relacionado à moda, sem distinção e insegurança para que o blog não ficasse nos padrões sociais de "o que é para homem". Assim criei OCF, com o objetivo de ser um blog informativo de moda masculina.


CM: Sei que é formado em biblioteconomia. Acha que essa sua formação, de certa forma, tem/teve algo a ver, ou pode te acrescentar em relação ao seu projeto de moda masculina? Pensa em voltar à sua profissão anterior algum dia?
OCF:  A biblioteconomia me ajuda muito no meu trabalho com o blog, porque nesse curso nós nos formamos em pesquisadores da informação, com isso eu posso garantir material informativo de qualidade no OCF. Eu pesquiso bem as minhas fontes e busco trazer informação concisa e segura, o que faz com que o blog tenha bastante credibilidade como fonte de informação.



CM: Sei que está estudando moda agora. Me diga o que está fazendo e como contribui com o seu crescimento no ramo de moda.
OCF:  Sim, depois de muito tempo planejando eu estou cursando Design de Moda no IESB, aqui em Brasília. Escolhi essa instituição pela sua reputação e por conhecer alguns profissionais que se formaram lá e seus trabalhos incríveis. Sempre quis fazer o curso, mas agora finalmente comecei e estou amando. Ele é focado na construção do designer de moda, onde a gente aprende a ser um estilista com todas as técnicas e teorias necessárias. A cada semestre temos um projeto integrador em que montamos uma coleção e criamos dois looks, um conceitual e outro comercial; esse que você vê na foto abaixo (FOTO DO MACACÃO PRETO) eu o criei por inteiro, do croqui á costura. 



CM:  O que te deu na cabeça de largar emprego, cidade, e tudo mais? rsrsrsrsr
OCF: O amor, hahaha. Foram diversos motivos. Eu tenho um relacionamento com uma pessoa em Brasília há mais de cinco anos, ele já morou comigo no Rio, mas não deu muito certo por conta da carreira dele lá; então ele voltou. E em 2015 eu decidi vir morar com ele, já que estava insatisfeito com minha carreira de bibliotecário e queria focar em meu trabalho com moda. Nada melhor do que recomeçar a vida profissional em outra cidade. E no fim das contas estou gostando muito da decisão, porque Brasília parece ter mais interesse em moda masculina do o Rio, o que para mim está funcionando bem.



CM: Seu blog tem um diferencial que acho muito legal: você dá muito espaço e valor à cultura negra - o que é incrível e tem crescido muito atualmente. Conta pra mim um pouco sobre isso.
OCF:  Minha meta quando criei OCF era trazer informação de moda masculina no geral, sem distinção ou fico específico, assim eu procuro buscar informação da cultura negra inserida no mundo da moda de maneira natural, porque afinal é assim que deve ser. Dessa forma eu procuro sempre misturar as culturas de forma interdisciplinar para que ela seja apresentada de forma natural e sem surpresa. Eu como blogger, negro e com influência no mundo digital tenho o dever de difundir a cultura; mas na real eu abraço a cultura negra porque ela tem uma vertente linda que precisa ser mostrada ao mundo. 



CM: Me diga um ícone de estilo pra você.
OCF:  Eu poderia citar vários, mas acho que tenho por obrigação citar aquela que me inspirou ser quem eu aspiro ser, que é a minha bisavó. Dona Natalina era a pessoa mais carinhosa do mundo, ela era costureira, filha de imigrantes italianos. Foi ela quem escolheu meu nome, que eu amo inclusive. Na minha infância eu era seu assistente em suas criações. Eu era apaixonado pelos vestidos que ela criava para ela ir á igreja, todos muito bonitos e incrivelmente estampados - uma mistura de Versace com Roberto Cavalli. Ela sempre foi meu ícone de estilo, e minha maior incentivadora, pois quando era seu assistente ela sempre dizia "um dia você vai ser um grande alfaiate". Tem como não ser um ícone de estilo? 



CM:  Quais os projetos futuros?
OCF: Muitos, rsrs. Atualmente estou trabalhando como Líder de Visual Merchandising em uma grande empresa de moda - o que estou amando fazer. Pretendo continuar na área e tentar crescer dentro da empresa. Quando me formar - ou um pouco antes disso - pretendo lançar uma coleção cápsula e iniciar os trabalhos de uma marca própria de moda masculina, que sempre foi meu sonho.

CM:  Deixa um recado pro povo do Cabide!
OCF: Queria agradecer o espaço para a entrevista aqui no Cabide que é um dos meus blogs favoritos, e mandar um abraço para seus leitores que acompanham seu trabalho desde o início - assim como eu.








Ontem a noite rolou uma palestra com Alexandre Herchcovitch no Senac aqui de Piracicaba e o blog Cabide Masculino foi convidado para uma coletiva de imprensa.

Imaginem qual foi a minha surpresa ao descobrir que o Alexandre, ao invés da coletiva, resolveu conversar pessoalmente com cada um dos veículos? Pois foi assim que conseguimos um bate-papo super bacana com o renomado estilista, por quem eu sou apaixonado pelo trabalho desde a adolescência. Foi uma experiência incrível entrevistar alguém que é referência da moda brasileira no mundo!

Confiram tudo o que a gente conversou: 

Cabide Masculino - Qual é a influência da internet na moda?
Alexandre Herchcovitch - A internet tem o papel de tornar a informação pública. A informação pra mais pessoas.  Mas como é muito simples você abrir um blog ou alguma coisa do gênero e é muito simples você escrever - é só você ter um espaço - eu acho que daí tem que ter um discernimento, no que escrever e quem seguir, porque você encontra as vezes pessoas que não entendem do que estão falando, da história daquele assunto que está escrevendo no blog, aí a gente vê um monte de coisa, um monte de absurdo (risos).



CM - E todo dia rola um blog novo, um site novo de look do dia, streetwear...
AH - É, na verdade é. Qualquer um pode ter um blog, qualquer um pode abrir um site, e acho que por um lado é muito legal essa possibilidade de você conseguir se expressar através da internet. Antigamente você só tinha isso se você imprimisse um jornal, imprimisse uma revista, fizesse um livro, então também é "perigoso e legal".

CM - Aproveitando esse gancho, a gente vê que esses sites acabam sendo referência, como o Lookbook.nu, por exemplo...
AH - Lookbook é o que, um site?



CM - É um site onde várias pessoas podem postar seus looks em seus perfis, e as pessoas "hypam/curtem" ou não. É uma rede social voltada pra postagem de looks.
AH - Ah, tá.

CM - A partir daí, eu gostaria de saber de onde você tira suas referências pra criar, pois o interessante que eu acho no seu trabalho é que você se reinventa, mas sempre com algo do seu histórico de trabalho. A gente olha e sabe que é o Alexandre, só que diferente, novo.
AH - É, isso é uma característica da maneira que eu decidi trabalhar. Então eu não tenho sempre as mesmas referências, né... minhas referências mudam muito, porém a gente respeita muito o histórico da marca e as características que eu construi. Então, as referências variam muito, mudam, e você percebe claramente de uma coleção pra outra que a cara da coleção muda, só que a essência, o DNA da marca e as características dela permanecem as mesmas.

CM - Legal. E a última pergunta é sobre a moda masculina. A gente vê que tem muitos homens atualmente que estão se interessando por moda, prova disso são os vários blogs de moda masculina. O que você acha disso? É uma impressão ou uma verdade?
AH - Não, isso é uma verdade! Os homens do Brasil em geral gostam muito de moda, é um assunto que o brasileiro gosta, e o homem passou a se preocupar mais um pouco. Acho que tem uma mudança de consumo clara, que não é mais a mulher que compra roupa pro marido, que compra roupa pro filho, acho que agora eles estão indo nas lojas e comprando. Isso faz uma grande diferença. Você acaba indo pra loja e comprando aquilo que você escolheu, e não aquilo que a sua mulher escolheu.

E aí, curtiu a entrevista? Foi coisa rápida, 3 perguntas por veículo, mas ele atendeu a gente super bem, foi super gentil e bacana.

Ah, ainda não acabou!  Em outra postagem eu vou colocar trechos do que rolou na palestra, que foi um passeio incrível sobre a profissão de estilista.


Gostaríamos de agradecer e parabenizar o Senac Piracicaba pela programação maravilhosa voltada à moda e pela oportunidade incrível de ouvir e aprender com grandes nomes da moda brasileira! 


fotos: Juliana Ferraz

Alexandre Herchcovitch

Biografia 

Alexandre Herchcovitch nasceu e cresceu na metrópole de São Paulo, no seio da comunidade judaica ortodoxa paulistana.
Seu contato com o mundo da moda começou desde cedo em sua vida, com o convívio com sua mãe Regina, que o ensinou princípios básicos de costura. Aos dez anos, dava palpites sobre as roupas que a mãe, dona de uma pequena confecção de lingeries, vestia. Com a ajuda da mãe, aprendeu a trabalhar os ofícios da costura, trabalhando com a tesoura, agulha e linha.
Em 1993, aos 22 anos, Herchcovitch concluiu a faculdade de Moda, na Faculdade Santa Marcelina, e obteve sucesso em seu desfile de formatura.
Além da moda, o estilista é um personagem da noite paulistana. Atua como DJ em diversas festas no Brasil (destancando os clubs D-Edge - noite On The Rocks, Glória - noite Alelux, Ultralounge - noite Delight), tocando hits dos anos 80 e 90. Fez pequenas aparições na TV, como uma pequena participação na novela da TV Globo "Desejos de Mulher", em 2002 e na série "Garota Fantástica", do Fantástico, em 2009. Em 2010, apareceu em programas de moda na MTV, e virou jurado do Garota Fantastica.

Moda, estilo e design

Sua trajetória na moda brasileira foi construída em pouco mais de dez anos de carreira, sendo que a marca e o estilista Alexandre Herchcovitch obtiveram uma grande repercusão e reputação no mundo da moda brasileira e internacional.
O estilista paulistano Alexandre Herchcovitch cria anualmente 4 coleções para a própria marca, criações de produtos licenciados para diversas empresas, desfila suas coleções na Semana da Moda - 7th on Sixth, em Nova York, e duas vezes por ano no São Paulo Fashion Week.
Ele tem 4 lojas no Brasil e uma loja no Japão, além da loja virtual.

Em 2002, Herchcovitch assumiu a direção de criação da Cori, com a missão de rejuvenescer a clássica grife, que, com uma nova cara, ingressou no São Paulo Fashion Week.
O estilista assumiu em 2006 a direção da Faculdade de Moda da FMU, em São Paulo. E ainda lançou recentemente um concurso de modelos, na tentativa encontrar alguém que representasse a "beleza brasileira".
Isso tudo sem contar a diversidade de produtos que tem criado em parceria com grandes marcas: calçados para a Democrata, jóias para a Dryzun, meias e cuecas para a Lupo, fundos de tela de telefones celulares para a Motorola, sandálias para a Melissa, cadernos para a Tilibra, Óculos para a grife brasileira Chilli Beans. Uma dessas parcerias, com a Hello Kitty, chamou a atenção da cantora Björk, que saiu na revista francesa Art Actuel em 2003, vestindo uma camiseta com a estampa de Carmen Miranda.

Herchcovitch também trabalhou na Zoomp e na Ellus. Atualmente, tem quatro lojas próprias, desenha modelos exclusivos em seu ateliê, exporta a linha jeanswear para os Estados Unidos e Reino Unido.
Em Outubro de 2007, estreou como jurado do programa Brazil's Next Top Model do canal a cabo Sony. No programa, ele concedia dicas de moda e julgava as aspirantes a modelo.
Alexandre Herchovich também criou os uniformes do Mc Donald's Brasil em 2006.

No final de 2007, Herchcovitch encerrou seu contrato com a Cori e voltou para a Zoomp, apresentando sua coleção de reestréia no SPFW outono inverno 2008. Herchcovitch é hoje diretor de criação do SENAC.
Em 2011, trabalha como mentor no programa Projeto Fashion transmitido no Brasil pelo canal aberto Band.
Atualmente é um dos curadores da categoria Ideia do Movimento HotSpot1 .



No dia 27 de maio, a Ju e eu completamos 10 anos de casados! Pra comemorar, resolvi fazer uma surpresa pra ela, só que não vou contar senão perde a graça do vídeo!

Veja como foi, clicando no vídeo:




As fotos do ensaio que fizemos e da cerimônia surpresa estão no nosso facebook (acesse o álbum clicando aqui)  



Quem disse que "roupa branca é roupa de médico", ou que não é uma cor pra ser usada no inverno?



O branco é uma cor chave que combina com tudo, porém, muitas pessoas têm dúvidas quanto ao seu uso durante o inverno por pensar que nessa estação as cores em alta são as de tons escuros.

Não é bem assim, é comum durante as estações mais frias do ano como outono e inverno, tirar do armário casacos e demais peças na cor marrom, preta, azul-marinho, vinho e vermelha que são as mais usadas, no entanto é possível adicionar o branco e criar um look invejável para homens. Vamos seguir a linha proposta da tendência da moda sem gênero que está presente em vários países, especialmente na Europa e que agora também chegou ao Brasil, a moda sem gênero, ou seja; peças que são usadas por homens e mulheres que até bem pouco tempo era chamada apenas de unissex e as peças que melhor representam são as camisetas para ambos os sexos.

A novidade no segmento do conceito de peças sem gênero é genderless, que em muitas lojas de outros países está quebrando a regra das diferenças e colocando em um só departamento da loja peças para os dois sexos a definição específica do que é para homens e para mulheres, é uma coisa só. Ambos frequentam a mesma seção de roupas. Talvez você esteja se perguntando, o que tem toda essa conversa com o branco nos seus looks? Tudo, a abordagem é para deixar claro que com o esse conceito se torna bem mais simples usar o que quiser.

Focando na proposta de dicas para usar o branco, diria que o casaco branco é show e pode usar com calça jeans ou de outra cor e tecido. Além de ficar lindo é também muito chic. Calça branca de couro sintético se usar com colete azul, camisa branca e gravata azul cria um estilo moderno e estiloso. Outra opção que cai muito bem é pulôver azul acinzentado que tem tudo a ver com a estação, mas pode combinar com suéter laranja para dar um colorido mais divertido e casual. Partindo para a peça mais básica, você pode customizar as camisetas brancas com aplicação de pedrarias na altura da gola simulando uma gravata, fica bem interessante para usar com casaco.


No começo desse ano fomos convidados para uma experiência super legal da Maggi (aquela do caldo de frango, carne, legumes, das sopas, etc), onde teríamos que cozinhar para todos os hóspedes do Hostel Brasil Boutique, na Vila Madalena (bairro incrível e famoso de SP), em troca da nossa hospedagem.



Topamos na hora! Foram hooooras de gravação que, no final, viraram alguns segundos! Heheheheh.

Ficamos em um clima de total ansiedade desde janeiro - e a propaganda não saía!!!! Até que ontem recebemos um contato da equipe nos contando que já tinha sido lançado - internacionalmente!

Valeu muito a experiência, e o vídeo - uma campanha internacional da Maggi chamada "Cook your stay" (algo como: "Cozinhe sua estadia") -  com várias experiências gravadas em vários hostels de SP está disponível aqui:





Copyright Cabide Masculino 2012. Tecnologia do Blogger.

Follow by Email